II Simpósio sobre Aplicação do Direito Sistêmico no Judiciário

ESCALA DE PLANTÃO DOS MEMBROS DA COMISSÃO DE DIREITOS
9 de outubro de 2018
Balancete Outubro 2018
8 de novembro de 2018

II Simpósio sobre Aplicação do Direito Sistêmico no Judiciário

Na última sexta-feira, 26 de outubro, a Casa da Advocacia e Cidadania de Ribeirão Preto acolheu o IIII Simpósio sobre Aplicação do Direito Sistêmico no Judiciário, evento organizado pela Comissão de Direito Sistêmico da 12ª. Subseção, presidida pela Advogada Dra Janice Grave Pestana Barbosa e demais membros da comissão, que além de reunir um público de 93 participantes, entre eles advogados, mediadores, terapeutas, psicólogos, serventuários e estudantes, recebeu vários palestrantes.

Cada vez mais utilizada no Poder Judiciário, a filosofia das Constelações Familiares tem representado uma técnica para a solução de conflitos, seja entre as partes de um processo ou mesmo no relacionamento entre juízes, servidores, jurisdicionados e operadores do Direito.
A Constelação Familiar, na forma como se apresenta hoje, foi desenvolvida pelo psicoterapeuta e filósofo alemão, Bert Hellinger, que embasou o seu trabalho em três leis sistêmicas: o pertencimento, a hierarquia e o equilíbrio.
Direito Sistêmico – A aplicação das Constelações Familiares dentro do Judiciário é o que ficou conhecido como Direito Sistêmico, expressão criada pelo juiz brasileiro SamiStorch, pioneiro no uso dessa filosofia no Tribunal de Justiça da Bahia. Após ter feito a sua formação em Constelação Familiar, o magistrado começou a aplicá-la nos casos que conduzia e percebeu sua eficácia na solução dos conflitos, atingindo índices de 90% a 100% de acordos.

“No Direito nós tratamos de relações humanas e as Constelações Familiares servem justamente para tratar dos relacionamentos. São ciências que estão conectadas. Quando tive contato com as Constelações, imediatamente eu imaginei como elas poderiam ser aplicadas na solução dos conflitos com os quais lidamos na Justiça”, observa SamiStorch.

Os resultados alcançados por meio da utilização desse método foram reconhecidos pelo Conselho Nacional de Justiça, inclusive com trabalhos premiados sobre o tema. Com o passar do tempo, outros tribunais do país começarama introduzir a filosofia das Constelações, especialmente nas varas de família. “O Direito Sistêmico é umdos ramos que mais cresce e hoje é uma realidade na Justiça brasileira. Recentemente tivemos no Brasil o primeiro Congresso Internacional de Direito Sistêmico, além de eventos como o Workshop Inovações na Justiça, realizado pelo Conselho da Justiça Federal”, diz Marcos Castro palestrante convidado no II Simpósio.
Veja como foi a programação do Evento:

10h00 – Aplicação do Direito Sistêmico no Judiciário
Expositor: Marcos Antônio Ferreira de Castro – Servidor Público Federal de Botucatu, pos graduado em Direito Sistêmcio pela HellingerSchule – Innovare

11h15 – A Constelação Familiar e a sua Vivência
Expositora: Ana Lúcia Braga – Terapeuta de Constelações Sistêmicas

12h30 – Intervalo para Almoço

14h00 – A Constelação Organizacional e as Relações de Trabalho
Expositora: Monica Silvestre Santos – Psicóloga, Mediadora, Coach e Consteladora

15h15 – Diálogos entre a Constelação, Mediação e a Advocacia Sistêmica
Expositoras: Dra. Fatima Aparecida Gallo – Advogada e Conciliadora/Mediadora

Dra. Rafaela Cadeu de Souza – Advogada – Presidente da Comissão de Direito Sistêmico da OAB/São Carlos

16h30 Encerramento

Os comentários estão encerrados.